Finanças

Contabilidade em condomínios: saiba quais são os maiores gastos

Qualquer pessoa com familiaridade com o gerenciamento de propriedades sabe que as contas são muito altas. Muitos moradores não tem dimensão disso, porque pagam apenas as suas taxas, sem prestar atenção no todo. Mas é fundamental estar atento à contabilidade em condomínios, de forma a conseguir mapear os gastos e identificar possibilidades de redução.

No artigo de hoje, você poderá conhecer um pouco melhor sobre as principais despesas de um condomínio e algumas formas de reduzi-los ou até eliminá-los. Continue a leitura!

Qual a importância da gestão de gastos?

Assim como numa empresa, os condomínios também devem estar muito atentos aos seus custos e despesas correntes. É bem como que, em situações de superávit as pessoas deixem um pouco de se preocupar com isso, afinal o dinheiro é suficiente para pagar as contas.

Só começam a se importar quando a situação aperta. Isso não é muito indicado. Um controle mais rígido sobre os gastos deve ser feito sempre, por uma questão de cultura. Quem exerce isso de forma consistente tem maior facilidade para passar por períodos turbulentos e também para economizar sempre, o que pode trazer diversos benefícios. O dinheiro que “sobra” pode ser investido naquilo que agregar valor aos condôminos.

Principais contas na contabilidade em condomínios

Existem alguns gastos que são mais significativos que os outros. Confira agora alguns deles.

Funcionários

O gasto com pessoal é, sem dúvidas, um dos maiores. Ter um colaborar é algo bastante caro no Brasil, principalmente em virtude dos encargos trabalhistas. Em condomínios grandes, isso se torna uma bola de neve. Algumas funções ainda são mais valorizadas no mercado, o que encarece bastante a contratação.

Por esse motivo, cada vez mais condomínios estão dispostos a avaliar a terceirização de mão-de-obra. Essa prática pode ajudar a diminuir os custos e também a aumentar a qualidade, em virtude do know-how das prestadoras de serviço.

Água

A conta de água é uma que nem sempre damos atenção, porque intuitivamente achamos que o preço do litro é barato. Porém, o uso continuo e diário de várias pessoas tomando banho, cozinhando, lavando roupas e outras atividades, quando acumulado representa somas expressivas.

Soma-se ainda a água das áreas comuns, utilizada para limpeza e em áreas de piscinas, caso haja. E também o desperdício, que pode acontecer tanto pelo uso incorreto como por vazamentos não identificados. É preciso estar bastante atento!

Energia

Assim como a água, a energia pode passar a falsa sensação de valor. Porém, é outra conta que, quando analisada no todo, tem grande representatividade. Além de equipamentos de alto consumo como secadoras de roupa e chuveiro elétrico, há as lâmpadas das áreas comuns.

Nesse sentido, há algumas boas opções como o investimento em aquecedores solares e a utilização de sensores de movimento que desligam as luzes automaticamente.

Manutenção

Esse é um gasto que muitas vezes não damos atenção. E quando acontece, os prejuízos podem ser grandes. Os equipamentos e estruturas se desgastam naturalmente. Precisam ser consertados ou mesmo substituídos.

Os gastos em manutenção são altos em virtude do preço dos insumos e do valor da hora dos profissionais que realização esse tipo de trabalho. Exatamente por isso, uma prática bem interessante é investir na manutenção preventiva, que deve ser feita constantemente e que, geralmente, incorre em custos bem menores.

Todos esses custos excessivos precisam ser bem gerenciados para garantir que os gastos não excedam aquilo que deveriam. Controlar desperdícios e gastar de maneira racional é fundamental para o bem estar de todos. A contabilidade em condomínios é, com certeza, um tema muito importante e que deve ser prezado por todos!

Como é a situação em seu condomínio? Deixe seus comentários a respeito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *