condomínio

Reabertura das áreas comuns dos condomínios

A flexibilização da quarentena e abertura dos comércios, acabaram influenciando os condomínios que agora iniciam a reabertura das áreas comuns dos condomínios de forma gradual.

É muito importante preparar uma retomada consciente e cautelosa. O síndico deve avaliar todas as características particulares de seu condomínio e planejar uma comunicação clara e bem organizada.

Avaliar todas as etapas estabelecidas pelos órgãos públicos para conseguir embasar cada decisão com coerência e segurança é fundamental nessa fase.

Também é importante analisar que comércios e condomínios são diferentes e suas aberturas têm circunstâncias e padrões distintos, como por exemplo:

  • O número de funcionários disponíveis para fazer procedimentos de limpeza e descontaminação das áreas que serão utilizadas, mesmo que a frequência de uso no condomínio seja mais controlada.
  • A quantidade de famílias com crianças pequenas que utilizam parquinhos e brinquedotecas.
  • Frequência do uso dos home offices e academias do prédio.

Os condomínios no estado de São Paulo, possuem autonomia para decidir como e quando serão feitas as aberturas das áreas sociais, mas, é importante pensar em procedimentos para que a retomada seja feita da melhor forma.

Tomada de decisão sobre a reabertura das áreas comuns dos condomínios

Antes da tomada de decisão, é importante que, síndico, administradoras, conselho e jurídico do condomínio se reúnam para alinhar como as questões serão tratadas e incluir a opinião dos condôminos para que tudo seja feito às claras.

A tecnologia é uma ótima aliada para ajudar a organizar e melhorar os procedimentos como agendar dias e horários de utilização de áreas de interesse dos condôminos.

A criação de regras provisórias bem claras e estabelecidas, com base nas pesquisas com os condôminos, são importantes para guiar todas as decisões sobre a flexibilização.

Uma boa estratégia é fazer enquetes com respostas curtas e objetivas vão ajudar a nortear as decisões futuras.

Para que a reabertura seja feita de forma segura, o síndico também pode utilizar como referência o plano de retomada de seu Estado e, tomar as devidas providências de higiene e saúde.

Podemos citar algumas normas do Plano São Paulo como exemplo:

– Controlar a entrada de prestadores de serviços, usando EPI´s obrigatórios e com atenção dobrada a higiene;

– Higiene rigorosa dos elevadores e outros locais onde há trânsito de pessoas;

– Permitir o uso das áreas externas, restringindo a pessoas da mesma família e o uso obrigatório de máscara;

– Liberar as obras nas unidades com horários e número de pessoas bem controlados.

Com uma comunicação clara e a participação de todos do condomínio, é possível realizar a reabertura de forma segura.

Cada condomínio é único e tem suas particularidades e por isso é preciso analisar essas características para diminuir ao máximo riscos de contágio para funcionários e moradores.

Conta pra gente como foi decidido essa questão no seu codomínio?

Tagged , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *